Find us on Google+

QUARTZ: Taylor Swift no ranking de melhores artistas pop de todos os tempos

O site Quartz publicou um artigo sobre como Taylor Swift teve sua ascensão no ano de 2015 saindo de uma cantora country para uma das maiores estrelas da música pop mundial. Confira a tradução abaixo: 

Depois de um 2015 transformador, Taylor Swift entra na categoria de melhores de todos os tempos na música
O 2015 de Taylor Swift
Em 2015 Taylor redefiniu o que significa ser uma estrela. Ela completou sua transição musical do country para o pop, teve o álbum que mais marcou presença nesta geração e fez uma turnê pelo mundo tocando em estádios de Tampa Bay até Shangai. Ela tornou-se uma força tão grande que quase todas as noites, outros artistas e personalidades utilizavam de seu palco para melhorarem suas próprias carreiras através de aparições como convidados. A plataforma de Taylor tornou-se maior do que a de Oprah. Houve algo mais estranho do que Chris Rock desfilando em uma passarela em frente à uma audiência de mães e filhas? E, mesmo assim, fez sentido — a passarela de Taylor era para todos. O queridinho do indie-rock, Ryan Adams, não ironicamente, fez covers de todas as músicas do álbum “1989” e os lançou, rejuvenescendo a carreira dele no processo. Ela lançou o clipe de Bad Blood, um filme de ação de cinco minutos contendo mais aparições de pessoas maravilhosas do que qualquer outro vídeo desde Freedom! ’90 de George Michael (Cindy Crawford esteve em ambos). O vídeo foi assistido no YouTube mais de 681 milhões de vezes e repercutiu a mensagem sobre o poder e a força do círculo de amigas de Taylor; multi talentosas, diversas e unidas. Foi um movimento não tão sutil contra sua rival no pop, Katy Perry. Uma vingança pela caça furtiva por um dos dançarinos de Taylor e uma mensagem bastante clara: não pise em mim.
Ela nos ensinou sobre o perdão, a contrição e a compaixão. Ela se reconciliou publicamente com Kanye West — que a desrespeitou ao vivo na televisão há alguns anos e a deixou em lágrimas — enquanto se desculpava pública e seriamente com Nicki Minaj por um desentendimento no Twitter. Ela falou abertamente sobre o diagnóstico de câncer de sua mãe para ajudar seus fãs a passarem por lutas similares e reforçar suas próprias determinações, contribuindo para suas campanhas no GoFundMe e encontrando com eles nos bastidores.
O ar rarefeito no topo onde ecoam os artistas que foram construindo suas longas carreiras durante décadas é respirado por aqueles que mantém o gênio criativo ativo, administrando eles mesmos como CEOs. Bono é assim. Mick Jagger é assim. Madonna e Shawn Carter comandam compahias que dão mais dinheiro que sua arte. E Taylor Swift tem os melhores instintos de negócios de sua geração. Sua parte no Jornal Wall Street em defesa de seu álbum portou uma linha reta contra os serviços de streamings gratuitos e apoiou artistas pequenos que substancialmente foram tirados da industria quase que em apenas uma noite. Sua carta aberta em protesto para a Apple – a maior companhia do planeta – imediatamente mudou a politica da companhia, que fez as vontades da artista de pagar os royaltes mesmo no período de 3 (três) meses de teste do serviço de streaming da Apple. O sucesso dela engatilhou similar instância quanto outros grandes artistas que lançaram no ano: Adele e Coldplay, a forma que eles usaram o momento para vender os álbuns na primeira semana foi maior do que qualquer artista na história.
O uso engenhoso de Taylor do Twitter, Instagram, Tumblr e YouTube também tem sido bem documentado. Mas seu corpo de trabalho como um todo na mídia social em 2015 foi de cerca de bem mais do que apenas selfies (embora ela certamente estabeleceu um recorde). Ela inteiramente redefiniu a relação artista-fã, habilmente andando na linha entre controlar a mensagem e capacitar sua legião de fãs para falar com sua voz. Seus fãs inventaram a frase “Taylurking” referindo-se a seus aleatórios likes / retweets / reposts / respostas para os fãs. Ela embrulhou e enviou presentes aos mais diversos grupos de fãs. Ela apareceu em um chá de panela de uma fã. Ela convidou os fãs para suas casas para uma festa de escuta do seu álbum antes mesmo dele ser lançado. Ela redefiniu a norma para as nossas expectativas em torno do acesso aos artistas que amamos.

No contexto histórico, há apenas três anos, que pode rivalizar com o que vimos Taylor fazer em 2015: o 1956 de Elvis Presley, os Beatles em 1964, e Michael Jackson em 1983.

 

Tradução e Adaptação: Jessica Ertel, Lucas Alves e Mariana Kvothe — Equipe Swift World Brasil

Fonte: Quartz

O post QUARTZ: Taylor Swift no ranking de melhores artistas pop de todos os tempos apareceu primeiro em SwiftWorld.com.br.

Source: Swift World

by
QUARTZ: Taylor Swift no ranking de melhores artistas pop de todos os tempos

Posted in Latest News and tagged by with no comments yet.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *